Grand Tasting Grand Cru: os bons vinhos para provar em 2017

Essas semanas têm sido uma verdadeira loucura pra mim. Além de escrever para freelas, conciliar essas tarefas com um trampo fixo e estudar para a faculdade (só essa semana eu tive um trabalho para entregar e tenho duas provas que estão exigindo um estudo daqueles), passei por algumas experiências pessoais não muito agradáveis. A primeira delas é tragicômica: um atropelamento que mais me assustou do que machucou, e só serviu pra me dar torcicolo, braço imobilizado e um sentimento de que preciso de um bom banho de ervas pra afastar essa maré de azar. A segunda é lidar com dramas pessoais dentro de casa, sendo um deles a saúde da pessoa que eu mais amo. A terceira veio hoje: o falecimento de um tio querido.

Eu poderia me deixar levar por esse sentimento aterrador, mas prefiro converter isso em palavras e distrair a minha cabeça com o meu trabalho na escrita. Entre uma pausa e outra, concluindo um trabalho e relaxando um pouco dos estudos, resolvi que era o momento de voltar a alimentar o trabalho que eu mais amo na minha vida, que é simplesmente escrever, inclusive para esse blog. Há duas semanas, estive presente no evento Grand Tasting Grand Cru 2017, que acontece anualmente na lindíssima Casa da Fazenda do Morumbi e contou com  participação de diversas vinícolas apresentando seus rótulos de qualidade. Foi uma noite agradável permeada por vinhos de ponta, jantar simples e gostoso, pessoas bonitas e uma decoração rústica. Aliás, se me permitem uma dica, paulistanos: se estiverem com um dinheirinho no bolso, abdiquem do jantar em restaurantes mirabolantes pra aproveitar de um bom custo-benefício que vale a noite e relaxa. E como relaxa!

Evento Grand Tasting Grand Cru 2017 | Crédito: Camila Honorato
Evento Grand Tasting Grand Cru 2017 | Crédito: Camila Honorato

Começo esse texto já com uma dica para os principiantes em um evento de degustações. Aliás, nem com curso de vinhos, nem lendo um montão sobre o assunto eu consigo me livrar desse estigma de provar todos os vinhos bem classificados que vejo pela frente. Apenas, não façam isso! Ou vocês serão surpreendidos com uma tontura repentina e uma sensação momentânea de não querer mais ver vinho na frente de vocês, o que é uma bela sacanagem com a bebida dos deuses. Procurem conversar com os profissionais à frente do serviço de degustação de cada vinícola, pergunte sobre os rótulos apresentados e sobre o gosto de cada um deles pra saber o que vale a pena aproveitar ou não. Isso é uma bela forma de fazer novos contatos pessoais e profissionais, aliás. Afinal de contas, não restam dúvidas de que eventos como esse costumam receber pessoas incríveis e com histórias impressionantes para compartilhar. E claro: dê uma pausa pro pãozinho. Parece bobagem, mas lugares como esse são realmente uma tentação. Eu não estou brincando quando digo que você vai querer sair bebendo tudo. Mesmo seguindo tudo o que eu disse anteriormente, você corre sérios riscos de ainda sair tortinho do lugar…

Evento Grand Tasting Grand Cru 2017 | Crédito: Camila Honorato
Evento Grand Tasting Grand Cru 2017 | Crédito: Camila Honorato

Passados os relatos cruciais desse dia, vamos às dicas em relação aos vinhos que provei, que não foram poucos. Como de praxe, o evento organizou os vinhos em estações temáticas, dos espumantes, passando por rosés e brancos leves até os tintos mais elegantes e, por fim, os vinhos de sobremesa. Comecei com um espumante Victoria Geisse Vintage Reserva 24 Meses (R$ 94), da brasileira Família Geisse, de aroma bem frutado e fresco contrastando com um sabor mais encorpado, atípico para um espumante. De lá, saltei para os champagnes e espumantes rosés e provei do Villa Crespia Brolese Extra Brut Franciacorta (R$ 249), um italiano com cortes de Chardonnay e Pinot Noir, de aroma leve e fresco e de espuma abundante, com um final frutado delicioso. Na outra extremidade, o elegantíssimo Billecart-Salmon Brut Rosé (R$ 599) ganhou meu coração de todas as formas possíveis, com um equilíbrio perfeito. O corte de Chardonnay, Pinot Meunier e Pinot Noir me fez pensar que, quando se trata de champagnes, os franceses continuam dominando o assunto como ninguém. Cinco estrelas pra esse garoto! ♥

Evento Grand Tasting Grand Cru 2017 | Crédito: Camila Honorato
Evento Grand Tasting Grand Cru 2017 | Crédito: Camila Honorato

Saindo de lá, comecei minha jornada pelos vinhos tranquilos e claros, iniciando com um San Salvador Gotín del Risc Godello DO Bierzo (R$ 219). Esse vinho, aliás, é ideal para quem curte bastante vinhos brancos de corpo médio e estruturados, já que o sabor é potente e o álcool é perceptivelmente elevado (13,5%). O aroma vegetal, que deixa aquele toque de pimentões, finalizam o aspecto de extrema personalidade desse vinho, que conseguiu 92 pontos na avaliação do Guía Peñín 2016. De lá, migrei para a França de novo e tomei o delicado Château la Négly L’Écume Rosé (R$ 89), que é a perfeita definição de um rosé de qualidade, com aroma leve e fresco e que lembra pêssego. Em suma: extremamente leve, elegante e equilibrado.

Já que é pra falar de elegância, vamos partir para os tintos e começar com um do Velho Mundo. O Marquis de Bordeaux (R$ 99) foi desenvolvido pelo sócios Jean Moueix, proprietário de nada menos do que o estreladíssimo Château Petrus, e Alexandre Sirech com o propósito de trazer um rótulo com a classe pela qual a região de Bordeaux é conhecida com preços mais acessíveis do que o habitual. O resultado é um vinho de equilíbrio impressionante e aroma extremamente perfumado, com persistência marcante de frutas vermelhas. Também do Velho Mundo o italiano Casanova di Neri Rosso Di Montalcino (R$ 239) também estacou-se pelo seu equilíbrio e elegância. O destaque aqui, por sua vez, ficou por conta do aroma marcante e único.

Evento Grand Tasting Grand Cru 2017 | Crédito: Camila Honorato
Evento Grand Tasting Grand Cru 2017 | Crédito: Camila Honorato

Para encerrar, vamos falar um pouco dos vinhos do Novo Mundo, já que são eles os que nós, brasileiros, mais consumimos não só pelo paladar e pela aproximação cultural, mas também pelo ótimo custo-benefício. Da vinícola argentina Escorihuela Gascón, o selecionado foi o Don Miguel Escorihuela Gascón Malbec (R$ 464), com um aroma delicioso de frutas negras em abundância, álcool acentuado e sabor muitíssimo encorpado. A Viña Cobos trouxe como carro-chefe o rótulo Cobos Bramare Los Arbolitos Chardonnay (R$ 379), que foi armazenado em barricas de carvalho e é um varietal bem trabalhado, cuja leveza é a palavra-chave para defini-lo.

Entre os chilenos, o Despechado Pinot Noir (R$ 159), da vinícola Morandé Adventure, impressiona com uma cor linda, de vermelho vivo e aberto, tipo sangue. Em contrapartida, seu sabor é sutil. Da Errazuriz, o destaque foi para o Don Maximiano Founder’s Reserve, um delicioso corte de Cabernet Sauvignon, Carmenère, Malbec e Petit Verdot que resultou em um vinho tipicamente cinco estrelas de excelente equilíbrio, extremamente delicioso. A já bem conhecida Leyda destacou-se com o Lot 21 Pinot Noir  (R$ 299) que, como essa uva maravilhosa e que está entre as minhas favoritas sugere, tem aroma bem frutado e até doce, que lembra groselha, com equilíbrio surpreendente. É um típico vinho gastronômico, daqueles que nunca falham em acompanhar bons pratos. Por fim, a Grande Vinos de San Pedro fechou com o AltaÏr 2010. Apesar de não ser um vinho muito aromático, ele tem certa elegância e bom equilíbrio de álcool e taninos. No entanto, a acidez mais elevadas e a característica pouco fragrante dizem que esse vinho precisa de mais tempo de armazenamento em garrafa antes de ser finalmente degustado.

Evento Grand Tasting Grand Cru 2017 | Crédito: Camila Honorato
Evento Grand Tasting Grand Cru 2017 | Crédito: Camila Honorato

Se posso destacar um ótimo aspecto nesse evento ele é a presença feminina. Tenho notado que, na maioria dos eventos que fui nesse segmento, a presença masculina ainda é muito maior. Apesar do universo fascinante que os vinhos proporcionam, o patriarcado grita alto nessa área e clama por ocupação. Fiquei muito orgulhosa de ver a presença de consumidoras bem informadas e de profissionais incríveis, sobretudo das garotas da América Latina, que dobraram bem a descrença por parte de alguns poucos convidados malas que tentaram mostrar que sabiam mais do que elas (filhos, me poupem né) e que deram um show de inconveniência com cantadas fora de hora. Vamos lembrar que a gente trabalha bem, luta pelo nosso espaço e que não precisa de encheção de saco, né.

No mais, a festinha foi bacana, teve massa bem preparada pra acompanhar e um atendimento incrível por parte dos organizadores. Ponto positivo!

Grand Tasting Grand Cru 2017
Classificação Final: ♥♥♥♥ (Muito Bom).
Mais fotos em: Flickr, por Camila Honorato.

* Selecione os vinhos desse post e adquira o que mais te encantou no site da Grand Cru acessando esse link

Advertisements

One Comment Add yours

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s