Crônica: “Sobre confrontar os foras e aceitar um não”

Desde o término brusco do meu namoro, há dois anos, venho sofrendo com o medo da rejeição – e reajo muito mal quando ela bate à porta. Existe uma ferida ainda um pouco dolorida, que fica à espreita de uma cicatrização e acaba por me confundir. Um processo que preciso mergulhar fundo e superar por…

Au Pair: por quê decidi jogar tudo para o alto e embarcar para a Alemanha

Não é de hoje que venho refletindo muito em relação à minha posição profissional, algo que passou por uma busca exaustiva por melhores oportunidades de estudo e carreira. Reflexões, essas, que me trouxeram até aqui, em uma cidade minúscula do interior da Alemanha, respirando o ar puro da natureza, apreciando a luminosidade das ‘golden hours‘…

Crônica: A importância do autoperdão e da libertação da culpa

Às vezes cometemos atos que nos prejudicam diretamente. Coisas que dizem respeito a algum tipo de atitude que se desvincula do nosso tipo de personalidade, que nos fere de alguma forma, que nos torna vulneráveis a um sentimento brutal de culpa, vergonha e excesso de autopunição. Há um ano, quando terminei meu namoro, mergulhei em…

Letras USP: por quê eu decidi estudar alemão na universidade?

Die, der oder das? Was ist richtig?  Os artigos em alemão estão entre as coisas mais confusas em relação à compreensão da língua, mas está bem longe de ser um dos poucos tópicos discutidos em relação à complexidade do idioma como um todo. São muitas regras, algumas delas bem estranhas (como números com mais de…

(+18) Minha experiência com a massagem tântrica

O tantra é uma filosofia linda, pura e cheia de elementos que estimulam nossas forças. Por causa da minha vivência no Yôga, que passa pelo aprofundamento teórico de filosofias que acabam por cruzar com ela, acabei descobrindo o tantra e suas vertentes. Quando se fala em tantra, é comum que se associe o termo imediatamente…

Trilha em Paranapiacaba (SP): reconexão e fortalecimento em tempos de caos

Eu sempre me considerei uma pessoa urbana. Alguém que se sente confortável em dias cinzas que casam com arranha-céus, passeios pelas calçadas, barulhos altos e luzes que pulsam vinte e quatro horas por dia. Sempre acreditei que minha essência fosse, primordialmente, passar por avenidas, beber qualquer coisa em bares nas esquinas paulistas e olhar tudo…

Caixa de Pássaros: o livro, o filme e o desenvolvimento do suspense

Faz alguns dias que a Netflix lançou a adaptação desse best-seller, que gerou um burburinho enorme junto ao público e despertou algumas discussões. No meu primeiro olhar, acreditava se tratar de um filme excelente e com doses certas de suspense, com uma ou outra consideração que poderia ser ajustada no roteiro. Aos meus elogios, meus…

Crônica: (+18) A vida sexual da mulher tímida

“Deita com calma. Solta mais o corpo e relaxa. Você está muito nervosa”. Eu sentia que minha respiração entrecortada e as pernas bambas em cima da cama eram uma denúncia para o homem na minha frente. Mil coisas se passaram na minha cabeça antes que ele começasse a tirar a minha roupa e a voltar…

Crônica: Não pulei ondas no Ano Novo

Perdi as contas de quantas vezes vi queima de fogos na praia, pulei ondas e escondi sementes de romã dentro da carteira. Toda virada do ano me dá uma sensação extremamente estranha, pela falta de planos consistentes em relação aos meses que irão se seguir. Geralmente, minhas noites entre um ano e outro são recheadas…