Trilha em Paranapiacaba (SP): reconexão e fortalecimento em tempos de caos

Eu sempre me considerei uma pessoa urbana. Alguém que se sente confortável em dias cinzas que casam com arranha-céus, passeios pelas calçadas, barulhos altos e luzes que pulsam vinte e quatro horas por dia. Sempre acreditei que minha essência fosse, primordialmente, passar por avenidas, beber qualquer coisa em bares nas esquinas paulistas e olhar tudo…