Poema: Vó Tereza (o ato de se despedir)

  Ela tinha olhos escuros e gentis Daqueles que te acolhem em dias fechados. Seu sotaque era forte, mesmo depois dos anos passados na cidade grande Com expressões pernambucanas divertindo na ponta da língua. Tinha uma gargalhada espontânea, dessas que papagaios imitam facilmente. Ela tinha mãos e pés pequenos, com unhas curtas sempre bem feitas….

Crônica: Carta de despedida ao meu pequeno pet

Onze anos de amor. Onze anos de lindos ensinamentos. Onze anos de uma convivência cristalina, confortante, pura e prazerosa. Parece que foi ontem que recebi o meu presente. Uma bolinha de pelo bege dentro de uma caixinha de sapato, feliz, que fazia arte pela casa toda. Eu era uma menina e transbordava de tanta felicidade:…

Crônica: Flores à beira da janela

A garota estava entediada. Sentada no sofá da sala, passava por vários canais de TV, apertando as teclas do controle remoto ferozmente – sem realmente ver nada na tela. Os olhos estavam marejados de lágrimas, e um bolo amargo se formava em sua garganta. Dias e dias se passavam sem que ela se livrasse do…