Crônica: O chamado do inverno

No frio, não existe a obrigação de ser feliz. Uma amiga me disse essa frase em uma tarde de choro pós-término. Um dia onde eu só conseguia me lembrar do relacionamento que acabara de se romper, sem uma certeza de um contato, um sentimento mútuo de gratidão ou uma falta. Era um dia de cólica….

Crônica: Quando ela escapou pelos seus dedos

Era uma bela mulher, com todos os atributos possíveis. Um corpo cheio de curvas, uma face delicada, uma inteligência fora do comum. Ele era um homem imaturo para sua idade. Uma pessoa que se cercava das mesmas piadas, com as quais pouco se sustentava, cheio de ambições vagas em detrimento de uma vida comum, onde…

Sono profundo – Uma crônica

Ele dorme pesadamente. Sua respiração é entrecortada, marcada por espasmos e sons brutos, que cortam o ar. Seus movimentos, por mais lentos que pareçam ser, revelam um corpo que nunca relaxa. Ás vezes, ele acorda exausto. Como se o despertar fosse o seu momento de flutuar. A hora em que, enfim, a preguiça chega. Mais…

Poema: Um banho

Um despertar preguiçoso se dá nas horas tardias da manhã. Teu corpo se enrosca na minha pele. Teu rosto se aproxima do meu seio. No silêncio que se segue, teus olhos se abrem Me observam com intensidade. Anunciam um pensamento desejoso e intenso. Sinto tua nudez roçando em meus quadris Anunciando o brilho da luz…

Crônica: Sobre amor e acolhimento

Amor não é fogo que arde sem se ver, mas certamente é ferida que dói e não se sente. Camões versava sobre a dualidade de um amor, da dor que recai sobre os indivíduos quando o mesmo dá as caras por aí. O amor não é fogo. Ele pode se reduzir às cinzas. Mas seu…

Poema: Sonho Dividido (sobre os medos no inconsciente)

Eu me pergunto se algum dia você teve dúvidas. Se duvidou do meu amor, da minha vontade de estar perto Dos beijos que nem sempre recebe nas horas que quer. Pergunto isso porque sonho em ter de dividi-lo. Não, esse não é meu sonho. Mas o medo que aparece na hora de dormir. Frequentemente, te…

Poema: Perdão (a importância de um ato nobre)

Eu te peço perdão por cada palavra confusa Por cada angústia que escondi Por cada frase não dita. Eu te peço perdão por me afastar de repente Por não responder de imediato Por deitar afastada na beira da cama. Eu te peço perdão por sair do banho Por interromper a preguiça Por te deixar sozinho…

Crônica: Flores à beira da janela

A garota estava entediada. Sentada no sofá da sala, passava por vários canais de TV, apertando as teclas do controle remoto ferozmente – sem realmente ver nada na tela. Os olhos estavam marejados de lágrimas, e um bolo amargo se formava em sua garganta. Dias e dias se passavam sem que ela se livrasse do…