Poema: Sopro na Janela

Faz frio do lado de fora E a chuva incessante na cidade joga gotas de dor e lágrimas na janela. O vento entra pelas frestas da porta Joga sopros gélidos de tremor e tristeza Um dia nublado tem gosto de saudade A chuva incessante é a incorporação da melancolia Um desejo de volta, uma mensagem…