Meu Livro: “Seis Estações Ventosas”

“Como em cada estação de trem, cada paragem sopra de uma forma diferente. Em cada vagão, há um jeito de o peito se comprimir. Sejam com lembranças confortadoras de amores correspondidos; com a confusão causada por paixões platônicas que acabaram optando por não ficar; com a dor e o delírio provocado pelos efeitos devastadores de…

Poema: Água Benta

Ela acreditava-se perdida. Pensava que seus devaneios doentes Eram extensões de almas brutas Atormentadas e demoníacas. Teve vertigem no caminho pro trabalho Na música clássica reproduzida Nos alto-falantes quebrados De um prédio histórico em ascensão. Registrou mecanicamente Informações irrelevantes No sistema ultrapassado do escritório. Sentiu o cheiro da loucura No ambiente da casa corporativa. Chorou…

Poema: “O Suicida”

O mundo é uma bola de neve, gigante e colossal. Uma bola de neve branca e capaz de engolir uma pessoa inteira. Capaz de submeter um único ser humano frágil Em uma parte integrante de suas partículas gélidas e marmóreas. Partículas de cores que mal se veem à distância. É apenas um corpo que gruda…

Poema: O Inimigo na Escuridão

O monstro adentra pelo quarto Invade o espaço entre as paredes Se acomoda na cama pequena Açoita a criança inocente. O monstro adentra pelo quarto Ameaça a alma confusa Diz para que ela não conte nada Compra-lhe o silêncio. O monstro adentra pelo quarto Promete mundos e fundos Causa a dor a uma pobre alma…

Poema: “Ruptura”

Era uma corda fina e delicada Sustentando dois corpos inclinados em frente De um lado para o outro. Uma dança os traz para perto Beijos acalentados Abraços de promessas Planos ditados no ouvido. Os corpos se entregam e se amam. São sustentados de uma forma branda. Mas os movimentos, de repente, se tornam bruscos. As…

Literatura: Poema de Véspera

Novembro chegou com seus tons de cinza e dourado. Com sua atmosfera de véspera Com seus aromas e cores de festas. Novembro se aproximou rápido. Condecorou a lembrança fria do escritório Da papelada sulfite em cima da mesa Do barulho do teclado batendo ininterruptamente Tendo os prédios do lado de fora para decorar. Novembro relembrou…

Poema: Sopro na Janela

Faz frio do lado de fora E a chuva incessante na cidade joga gotas de dor e lágrimas na janela. O vento entra pelas frestas da porta Joga sopros gélidos de tremor e tristeza Um dia nublado tem gosto de saudade A chuva incessante é a incorporação da melancolia Um desejo de volta, uma mensagem…

Poema: Incorrespondência

Eu queria que você me amasse tanto quanto te amo. Mas graças a Deus, não me foi concedido esse poder. Não quero que me ame e me queira por pena. Não quero a brutalidade de uma obrigação. Quero que fique por vontade própria Seja em dias nublados ou com o sol no litoral. Por tanto…

Poema: Mensagem a um amor transparente

Hoje acordei com vontade de escrever para ti. De declamar poemas, versar sobre declarações feitas aos seus olhos claros e felinos A tuas expressões intensas e ao sorriso torto que chega a teus lábios E aos cantos externos de seu belo rosto. Acordei com vontade de despentear seus cabelos com as mãos. De amar as…

Poema: Um banho

Um despertar preguiçoso se dá nas horas tardias da manhã. Teu corpo se enrosca na minha pele. Teu rosto se aproxima do meu seio. No silêncio que se segue, teus olhos se abrem Me observam com intensidade. Anunciam um pensamento desejoso e intenso. Sinto tua nudez roçando em meus quadris Anunciando o brilho da luz…

Poema: Falar ao silêncio (ou a quietude das árvores)

Falar ao silêncio é como falar com uma árvore: As palavras lhe escapam com facilidade, complexas e inteiras Traduzem seus sentimentos mais profundos, receosos e sinceros. A árvore resplandece vida. Reproduz um cheiro acolhedor e um barulho reconfortante, perdido no meio de um doce farfalhar de folhas. O desabafo segue e a árvore parece compreender….

O tempo – um poema sobre a passagem das horas, meses e anos

O ar se inunda com mistérios ao passo de seu surgimento. Repleto de máscaras, ele se mistura aos dias e ao vento Como um amigo fiel, por baixo de uma carapuça de traição. Mas que, na verdade, nunca trai e nunca trairá. Sua natureza é silenciosa e tímida Oculta-se por baixo de tecidos novos e…