Meu Livro: “Seis Estações Ventosas”

“Como em cada estação de trem, cada paragem sopra de uma forma diferente. Em cada vagão, há um jeito de o peito se comprimir. Sejam com lembranças confortadoras de amores correspondidos; com a confusão causada por paixões platônicas que acabaram optando por não ficar; com a dor e o delírio provocado pelos efeitos devastadores de…

Crônica: como o Carnaval me ajudou a curar minha depressão

O Carnaval sempre foi uma data permeada por contradições pra mim. Em meio à folia colorida que invade as ruas e os sambódromos de todo o Brasil, eu não conseguia definir direito se essa data é algo que eu amo com todas as minhas forças, pela possibilidade de tanto ferver na farra quanto de descansar,…

Crônica: Sobre as voltas que o vento dá

Quando eu era pequena, gostava de me sentar na rede da casa de campo dos meus pais e de balançar conforme o vento batia no final da tarde. Gostava de observar o horizonte com as cores que surgiam no céu, vendo as transformações intensas de nuances no entardecer. Aquele crepúsculo que se descortinava na minha…

Poema: “Ruptura”

Era uma corda fina e delicada Sustentando dois corpos inclinados em frente De um lado para o outro. Uma dança os traz para perto Beijos acalentados Abraços de promessas Planos ditados no ouvido. Os corpos se entregam e se amam. São sustentados de uma forma branda. Mas os movimentos, de repente, se tornam bruscos. As…

Literatura: Poema de Véspera

Novembro chegou com seus tons de cinza e dourado. Com sua atmosfera de véspera Com seus aromas e cores de festas. Novembro se aproximou rápido. Condecorou a lembrança fria do escritório Da papelada sulfite em cima da mesa Do barulho do teclado batendo ininterruptamente Tendo os prédios do lado de fora para decorar. Novembro relembrou…

Poema: Sopro na Janela

Faz frio do lado de fora E a chuva incessante na cidade joga gotas de dor e lágrimas na janela. O vento entra pelas frestas da porta Joga sopros gélidos de tremor e tristeza Um dia nublado tem gosto de saudade A chuva incessante é a incorporação da melancolia Um desejo de volta, uma mensagem…

Crônica: Mulheres incríveis também sofrem rejeição

É duro quando a gente assume que tem uma autoestima boa, principalmente quando analisa as qualidades mais impressionantes que se tem. Não só os atributos físicos, mas a inteligência acima da média, a alta capacidade de discutir lances de jogos esportivos em uma mesa de bar, o conhecimento aprofundado em games, em línguas, arte, literatura……

Poema: Incorrespondência

Eu queria que você me amasse tanto quanto te amo. Mas graças a Deus, não me foi concedido esse poder. Não quero que me ame e me queira por pena. Não quero a brutalidade de uma obrigação. Quero que fique por vontade própria Seja em dias nublados ou com o sol no litoral. Por tanto…

Crônica: Desabafo na madrugada

Ás vezes eu penso que você se assusta com a minha loucura, já que sempre esconde um olhar de espanto com alguma expressão ou frase fora dos conformes. Bem como eu me assombro com sua sinceridade extrema. Escrevo palavras complexas e frases bem longas, sabendo que as mesmas não serão lidas. E me frustro! Acabo…

Vidas incansáveis da madrugada – Uma crônica

No cair da noite, ela está vestida. Usa seu conjunto de pijama de algodão pra se esquentar do frio, enquanto lê as páginas de um livro intenso sobre sertões e sobre o poder feminino em cima das cavalgadas de comando firme. Inspirada por sua heroína, começa a rasgar o verbo contra as atitudes e palavras…

Crônica: O poder do elogio

Ninguém nunca disse que lidar com críticas na nossa vida seria uma coisa fácil. Aliás, lidar com elas é um choque de realidade brusco, que mostra o quanto os nossos caminhos podem ser penosos, o quanto agradar as pessoas não é exatamente uma tarefa fácil e o quanto, muitas vezes, nossas expectativas quanto a nós…

Sono profundo – Uma crônica

Ele dorme pesadamente. Sua respiração é entrecortada, marcada por espasmos e sons brutos, que cortam o ar. Seus movimentos, por mais lentos que pareçam ser, revelam um corpo que nunca relaxa. Ás vezes, ele acorda exausto. Como se o despertar fosse o seu momento de flutuar. A hora em que, enfim, a preguiça chega. Mais…