Crônica: A saga do primeiro vôo internacional

As pessoas reclamam demais. Era o que eu pensava enquanto sentava na cabine do avião e me recostava na poltrona, descascando os esmaltes das unhas e tentando controlar as borboletas no meu estômago. Tentava me manter tranquila diante daquele passo que eu tanto havia sonhado em consquistar. Mas, no meio daquele mar gigantesco de empolgação,…

Crônica: Mas afinal, existe sexo sem sentimento?

Eu tinha a convicção plena de que conseguiria ser capaz de entrar devagar e no escuro na casa dele. Tinha certeza absoluta de que conseguiria deixar um ou dois orgamos virem em uma escala discreta de intensidade para, poucos minutos depois, levantar rápido, me vestir e sair da cama dele com um único beijo na…

Crônica: Se você ama ou gosta, demonstre

O homem que me acolheu tinha um silêncio confortador, olhos gentis e mãos lindas. Era o tipo de conforto que eu precisava sentir no inverno de mares desconhecidos: sem a necessidade de toques com segundas intenções, mas com conversas prudentes, filmes e café quente. Meses se passaram, e então esse mesmo homem de silêncio confortador…

Crônica: Você deveria fazer terapia

“Eu não preciso de terapia”. “Eu não acredito em terapia”. “Quem precisa de psicólogo é louco e eu sou normal”. Ah, as agruras da vida terapêutica… Justamente os detentores das famosas (e preguiçosas) frases de efeito, são justamente os que mais carecem da intervenção de um profissional em suas vidas pra entrarem em contato com…

Crônica: O chamado do inverno

No frio, não existe a obrigação de ser feliz. Uma amiga me disse essa frase em uma tarde de choro pós-término. Um dia onde eu só conseguia me lembrar do relacionamento que acabara de se romper, sem uma certeza de um contato, um sentimento mútuo de gratidão ou uma falta. Era um dia de cólica….

Crônica: como o Carnaval me ajudou a curar minha depressão

O Carnaval sempre foi uma data permeada por contradições pra mim. Em meio à folia colorida que invade as ruas e os sambódromos de todo o Brasil, eu não conseguia definir direito se essa data é algo que eu amo com todas as minhas forças, pela possibilidade de tanto ferver na farra quanto de descansar,…

Crônica: Quando ela escapou pelos seus dedos

Era uma bela mulher, com todos os atributos possíveis. Um corpo cheio de curvas, uma face delicada, uma inteligência fora do comum. Ele era um homem imaturo para sua idade. Uma pessoa que se cercava das mesmas piadas, com as quais pouco se sustentava, cheio de ambições vagas em detrimento de uma vida comum, onde…

Crônica: Sobre as voltas que o vento dá

Quando eu era pequena, gostava de me sentar na rede da casa de campo dos meus pais e de balançar conforme o vento batia no final da tarde. Gostava de observar o horizonte com as cores que surgiam no céu, vendo as transformações intensas de nuances no entardecer. Aquele crepúsculo que se descortinava na minha…

Crônica: A fabulosa arte de negar

Dizer não é uma atitude simples quando se leva em conta a valorização que ela carrega. São três letras simples e um acento discreto que caracterizam o gesto de balançar a cabeça na horizontal: ene, a, ó, tio. Não! No entanto, dizer que três letrinhas sem vergonha são um exercício pior do que três horas…

Crônica: Mulheres incríveis também sofrem rejeição

É duro quando a gente assume que tem uma autoestima boa, principalmente quando analisa as qualidades mais impressionantes que se tem. Não só os atributos físicos, mas a inteligência acima da média, a alta capacidade de discutir lances de jogos esportivos em uma mesa de bar, o conhecimento aprofundado em games, em línguas, arte, literatura……

Crônica: Sobre qualidade de vida e afins

“Quero me mudar para algum lugar distante daqui. Uma casa na praia, onde eu possa atravessar a rua para tomar um sol e mergulhar no mar. Uma casa na fazenda com uma horta orgânica, vários animais de estimação e tranquilidade. Uma casa na montanha com uma bela vista, uma lareira e uma biblioteca para chamar…

Crônica: Um nado na tempestade

Ela afundou os pés descalços na areia quando o entardecer iniciou os primeiros passos de sua despedida. Não era um dia típico de sol, e o litoral perdeu aquele encanto alaranjado do crepúsculo, quando o sol se põe no horizonte e lança suas pinceladas no céu. O dia era cinza. O vento que soprava na…