Covardia – uma crônica sobre a violência urbana

A manhã nublada e úmida nunca me pareceu o palco ideal para apontar armas. Aliás, não consigo imaginar sequer um cenário que poderia abrigar tamanha covardia. Moradores de favelas sempre se deparam com esses barulhos, que os impedem de dormir, que os desesperam. Moradores de centros urbanos são iludidos: mesmo atrás de muros gigantescos e…