Crítica de Cinema: “Minha Mãe É Uma Peça 2” eleva o nível de comicidade

O primeiro filme já é um velho conhecido por uma parcela significativa de espectadores brasileiros. No centro da história de Minha Mãe É Uma Peça, um dos atores de comédia mais aclamados dos dias atuais, Paulo Gustavo, se veste de mulher para viver Dona Hermínia, uma mãe histérica e cheia de chavões, que explora os maiores clichês e frases de efeito da maternidade e da relação conturbada que todas as mães podem ter com seus filhos, saindo do amor incondicional para a repressão e a sátira em poucos minutos.

Sucesso absoluto de público, o longa metragem ganhou uma continuação três anos depois da estreia do primeiro e explora um ponto da maternidade que ainda é muito difícil de lidar e até de assumir: a Síndrome do Ninho Vazio, que acomete pais e mães quando os filhos ganham independência psíquica e financeira para deixar o lar e seguir um rumo independente.

Cena do filme
Ser mãe é uma função que às vezes carece de umas doses de Diazepam. Dona Hermínia que o diga! | Crédito: Divulgação

Na história, apesar de todos os tratamentos contraditórios reservados aos filhos Juliano (Rodrigo Pandolfo) e Marcelina (Mariana Xavier), com uma triste dose de comentários repletos de gordofobia que poderiam ficar de fora do roteiro, Hermínia sofre um forte impacto quando a filha resolve sair de sua casa em Niterói para tentar a sorte como atriz em São Paulo. Além disso, as questões de seu filho quanto à sexualidade, assumindo-se como bissexual, levantam discussões e questionamentos. Aqui mora um ponto forte em relação ao filme, já que as piadas voltadas para a orientação sexual fogem dos padrões de sátiras preconceituosas e assumem uma faceta realmente divertida e inteligente, colocando os padrões heteronormativos em cheque.

O resultado, como era esperado, foi um lucro tremendo de bilheteria, um público de mais de 6,5 milhões de pagantes e o título nada discreto de quarto filme nacional mais visto da história de nosso cinema (atrás apenas de Dona Flor e Seus Dois Maridos, Tropa de Elite 2 e Os Dez Mandamentos, sendo os créditos totais desse último muito duvidosos, como bem sabemos).

312371
O resultado da ansiedade tá aí: Dona Hermínia foi parar no hospital! | Crédito: Divulgação

Além de lidar com essa mudança drástica, Hermínia também é assombrada com a sedução barata de seu ex-marido Carlos Alberto (Herson Capri) e tem sua vida virada de cabeça pra baixo com a visita do neto (um pestinha incontrolável) e da chegada de uma de suas irmãs, Lúcia Helena (Patricya Travassos), dos Estados Unidos. A relação entre as três irmãs, aliás, é outro ponto forte do filme, sendo a atriz Alexandra Richter, que interpreta Iesa, um ponto chave que não poderia faltar no resultado final.

Em relação ao primeiro filme, a continuação de Minha Mãe É Uma Peça ganha em questão de comicidade e na exploração de questões maternas, levadas com ainda mais bom humor. A abordagem de assuntos como separação, independência, ansiedade e trabalho ganham bons contornos e levantam os risos justos da plateia. Por outro lado, o apelo emotivo junto ao envelhecimento, sobretudo o caso recente de Alzheimer de Tia Zélia (Suely Franco), fogem do tema central e trazem uma carga dramática que parece não ornar com os demais elementos do roteiro.

dsc_6270
O bagulho é louco. Fala aí, Dona Hermínia! | Crédito: Divulgação

Ainda assim, o elenco está mais afiado, elementos contemporâneos, como a relação de muitas mães com a tecnologia, são favoravelmente abordados e as expressões espontâneas da personagem principal estão ainda mais divertidas.

Em suma: é um filme padrão de comédia nacional, com bom humor bem explorado e um resultado final satisfatório. Faz rir e distrai como deve. E ponto final!

VAI LÁ
Minha Mãe É Uma Peça 2
Direção: César Rodrigues.
Elenco: Paulo Gustavo, Rodrigo Pandolfo, Mariana Xavier, Patricya Travassos, Alexandra Richter, Herson Capri, Amanda Schmütz, Suely Franco, Malu Valle, Bruno Bebianno, Davi Goulart e Ilva Niño.
Roteiro: Fil Braz e Paulo Goulart.
Distribuição e Produção: Paris Filmes e Globo Filmes.
Classificação Final: ♥♥♥ (Bom).

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s