Crônica: O prazer de estar sozinha

A solidão é, muitas vezes, associada a sentimentos ruins, de vazios e angústias. Mas estar só não é exatamente o sinônimo dessa palavra pesada. Ela pode, sim, ser associada a coisas boas!

Veja bem: se você tem um medo gigantesco ou até fobia de ficar sozinho, esse texto não fala diretamente pra você – e tá tudo certo com isso. Afinal de contas, como eu sempre ressalto aqui no blog, não há nada de errado em recorrer às pessoas por uma ajudinha bacana que possa ajudar a sua vida a ter mais qualidade! Mas falando sobre o sentimento de gostar de estar sozinha (ou sozinho), há uma série de implicações maravilhosas!

A primeira delas é o sentimento de estar se bastando. Poder usufruir de sua própria companhia, enriquecer sua mente com bons pensamentos e se alimentar de atividades gostosas, nas quais você é o centro de si mesma.

Alone and happy girl - Menina da Estrada
Crédito da Ilustração: Wallcoo.Net

Eu não quero diminuir, aqui, o valor de estar com as pessoas que gostamos, de sair com elas e conversar. Até porque, diferentemente do que já vi muita gente falando por aí, ter preguiça das pessoas e não gostar de se relacionar com ninguém não é motivo de orgulho nenhum. Muito pelo contrário: isso faz de você um idiota. O ser humano é um ser social. E, ao contrário do que pessoas pregam por aí, nós gostamos de nos relacionar. Se você não consegue sair do cubículo de jeito nenhum, isso é um problema e você precisa de um bom psicólogo pra trabalhar isso em ti.

Meu intuito com esse texto é que, se você se pega sozinha em um momento, mostrar que há algo de bom nisso e você pode tirar o melhor dessa experiência. Saber estar consigo mesma de uma forma saudável é um exercício forte de amor próprio.

Isso é um impulso até pra mim, que me peguei com dificuldades em alguns meses de abdicar da presença das pessoas e achar que ia ser engolida por algo que não existia. Com o tempo, passei a aproveitar e, até hoje, me pego em um exercício constante de dizer mentalmente: eu me basto!

Alone and happy girl - Menina da Estrada
Crédito da Ilustração: Wallcoo.Net

A gente se basta em uma série de coisas boas na vida, e eu cito alguns exemplos, como tomar aquele café gostoso em um lugar charmoso. Parar em alguma livraria, praça ou até na varanda ensolarada de casa pra ler um livro maravilhoso que a gente cobiçou por tanto tempo. Almoçar em um lugar legal, ouvindo uma música que lhe toque o coração. Viajar para um lugar que você sonhou e saber que, dentro dessa realização enorme, você tem a capacidade de aproveitar cada momento alimentando sua mente com lembranças boas. Ir ao cinema, no escurinho e no aconchego da poltrona, com aquela tela toda só pra você e com aquele balde generoso de pipoca com manteiga (ou no meu caso, que acho que pipoca só tem de bom o cheiro, uma porção de pão de queijo bem quentinho). Ou até citando minha experiência recente: andar de bicicleta por uma estradinha do interior, tendo a natureza ao seu redor e podendo parar no momento que você quiser pra tirar boas fotos.

Ficar sozinha e feliz é bem possível. Basta que se tenha em mente que, para isso, você não precisa diminuir os momentos nos quais outras pessoas lhe fazem companhia. Basta saber valorizar cada episódio diferente e enriquecedor na sua vida! 😉

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s