Os melhores vinhos de Março/2016

Dentro do meu trabalho e da sala de aula, onde faço o curso de sommelier de vinhos pela ABS – SP, tive ótimas surpresas com os vinhos que experimentei nesse mês.

Pra alegrar essa sexta-feira, e entrar no clima que o final de semana pede, separei alguns dos melhores vinhos que eu provei. Só degustando! Espero que gostem ♥

VINHOS TERRANOBLE – CHILE

IMG_20160316_174344125
Crédito: Camila Honorato

Tivemos uma ótima sessão de degustação com quatro ótimos rótulos da Vinícola Terranoble, como vocês podem ver na foto acima. Os vinhos provados foram os seguintes

– Tricau 2014, Cinsault, Carignan.

A Cinsault é uma uva típica do sul da França, mas sobreviveu bem ao solo chileno e foi produzida por um rótulo de boa qualidade, que está em sua primeira safra. Sua cor é escura e intensa, com aroma de frutas negras e tostado, com um fundo adocicado de caramelo e chocolate. Álcool e taninos são bem acentuados. Um vinho selvagem. 14% de álcool. Classificação: ♥♥♥ (Bom).

– Kaykun, Pinot Noir, 2010.

Eu adoro Pinot Noir. Então, dos quatro vinhos dessa vinícola, cujas cepas são cultivadas no Valle de Casablanca, esse foi o meu favorito. O vinho tem uma sensação muito mais leve no começo e tem um sabor super equilibrado. Sua cor é mais clara e seu corpo é leve, com persistência bem sutil. Seu aroma, por outro lado, é mais fresco e frutado, com notas de cassis e jabuticaba. Passa oito meses em barricas de carvalho. 13,5% de álcool. Classificação: ♥♥♥♥ (Muito Bom).

– Lahuen, 2009, Vermelho (Carmenère, Malbec, Syrah e Cabernet Sauvignon). 

Ambas as garrafas produzidas com o nome de ‘Lahuen’ homenageiam árvores típicas do Chile, de troncos avermelhados e muito utilizadas para fazer móveis, que encontram-se ameaçadas de extinção. Seu aroma é mais ‘fechado’, com leve complexidade, denotando couro e frutas negras. Com taninos acentuados, possui um sabor mais adocicado no começo e fresco no final. É um vinho elegante, com passagem de dezesseis meses em barricas de carvalho. 14,5% de álcool.  Classificação: ♥♥♥ (Bom).

– Lahuen, 2011, Azul (Syrah, Shiraz, Cabernet Sauvignon e Petit Verdot)

De cor muito escura e intensa, aroma fresco, frutado e de acidez acentuada, esse vinho foi inspirado nas safras de destaque produzidas na França. É possível sentir um aroma bem intenso de frutas vermelhas. Extremamente equilibrado, é um vinho e tanto para acompanhar comidas. Passa dezesseis meses em barricas de carvalho. 14,5% de álcool. Classificação: ♥♥♥♥ (Muito Bom).

CHILE

– Siglo de Oro Reserva, Cabernet Sauvignon 2013, Santa Helena. 

IMG_20160331_075031785
Crédito: Camila Honorato

Vinhos da Santa Helena são, para mim, sempre uma ótima pedida. O vinho é mais encorpado, de boa complexidade aromática e boa persistência de boca. Seu aroma de frutas negras compete com notas mais adocicadas. 14 % de álcool. Classificação: ♥♥♥ (Bom).

– Inspira, Sauvignon Blanc 2014, Viña Chocolán

IMG_20160324_111914265
Crédito: Camila Honorato

Esse vinho foi o escolhido para acompanhar todos os pratos que incluíam peixes e frutos do mar durante a Sexta-Feira Santa – inclusive camarão e o famoso bacalhau mergulhado no azeite. De cor amarelo-palha, com reflexos esverdeados, possui aroma de frutas tropicais, como maracujá, além de leves toques herbáceos. Possui boa acidez. Também senti um fundinho aromático de flores do campo. 13,5% de álcool. Classificação: ♥♥♥ (Bom).

ESPANHA

– Viña Brava 2013, Tempranillo, Miguel Torres

IMG_20160318_203454735
Crédito: Camila Honorato

Esse vinho também foi um achado e tanto. A Tempranillo é uma casta elegante, de sabor bem equilibrado e aroma frutado. É equivalente à Aragonez ou Tinta Roriz em Portugal. Vale saborear com pratos leves. 13,5% de álcool. Classificação: ♥♥♥♥ (Muito Bom).

ITÁLIA

– Attems, Pinot Grigio, Ramato 2012, Venezia Giulia

IMG_20160317_174632015
Crédito: Camila Honorato

A princípio, o vinho pode surpreender com sua cor intensa e mais escura, que destoa da grande maioria dos vinhos brancos. Isso tudo porque suas uvas fermentam durante oito horas com as cascas e os engaços. Tem aroma muito frutado, com toque amanteigado e de flores do campo. Seu sabor é fresco e de acidez bem acentuada. 12,5% de álcool. Classificação: ♥♥♥♥ (Muito Bom).

PORTUGAL

– Dão Encruzado 2013, Quinta dos Roques

IMG_20160329_222257288
Crédito: Camila Honorato

Sua complexidade aromática é muito boa: é possível notar aroma de frutas de países temperados, como pêssego e pêra, além de flores do campo e leves toques balsâmicos, além de um fundo adocicado de mel. Seu sabor é fino, elegante e complexo, com corpo médio e boa persistência na boca. 13,5% de álcool. Classificação: ♥♥♥ (Bom).

IMG_20160329_215422761
Crédito: Camila Honorato

– Quinta do Noval Fine Ruby, Vinho do Porto

IMG_20160315_214605789
Crédito: Camila Honorato

Foi um dos vinhos que harmonizamos bem em uma das aulas, juntamente com o da África do Sul citado abaixo, cujo resultado você pode conferir nesse post. É um vinho de cor escura e muito intensa, com aroma adocicado de frutas negras com chocolate, fondue e até petit gateau. É um ótimo vinho para acompanhar sobremesas e chocolate meio amargo. 19,5% de álcool. Classificação: ♥♥♥♥♥ (Excelente).

ÁFRICA DO SUL

– Nederburg Winemaster’s Noble Late Harvest, 2012, Distell Limited

IMG_20160315_211538237_HDR
Crédito: Camila Honorato

De cor âmbar muito intensa, o vinho possui um aroma incrível de mel e damasco, com um toque envernizado. Sua acidez possui um equilíbrio incrível com o doce das uvas botritizadas. Combina com queijos salgados, de sabor muito intenso e mofados. 11% de álcool. Classificação: ♥♥♥♥♥ (Excelente).

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s