Lista: 10 dicas preciosas para viajar a trabalho

Viajar é uma palavra de gosto universal. Não conheço ninguém que não goste – apesar de não me arriscar muito nessa afirmativa, porque afinal de contas nunca se sabe. O ato em si permite que o indivíduo elimine as questões preocupantes do dia a dia, descanse a mente, conheça outras pessoas, culturas e lugares, além de abrir um universo até então desconhecido. Em suma: é maravilhoso!

No entanto, é preciso ressaltar que viajar por entretenimento e viajar a trabalho são duas coisas completamente diferentes. Muitas pessoas se empolgam com a ideia de pegar o avião por uma empresa sem saber que, na verdade, muitas de suas concepções a respeito do assunto estão erradas. É claro que as oportunidades aumentam e aprendemos muitas coisas, mas não se pode esperar que a experiência seja igual.

Em 2013, mergulhei no mundo do turismo na Editora Abril. Por ser estagiária, não pude viajar pela empresa. Mas ainda assim, recebia muito material e escrevia bastante para entreter os leitores que buscam dicas para se divertir. Era um trabalho delicioso, é claro! Recebia informações incríveis, entrava em contato com pessoas diferentes. Sempre buscando entreter os leitores, é claro. Em 2014, viajei num escopo de um projeto da Avianca em Revista. Visitei algumas capitais brasileiras, tive contratempos e experiências ótimas. Mas principalmente: aprendi muito sobre como me relacionar com as pessoas. Vi o que se deve e o que não se deve fazer observando os erros e acertos dos outros – e meus também.

A seguir, algumas dicas preciosas pra esse passo tão importante na carreira. A você, leitor viajante, boa sorte!

Photo by Killian Pham on Unsplash
Crédito: Killian Pham/Unsplash

1- Certifique-se de que toda a documentação e os processos burocráticos estão em ordem. Ao viajar pela empresa, procure se informar sobre o que a legalidade do ato. Converse bastante com o departamento pessoal e de recursos humanos pra ter certeza absoluta dos seus direitos. Pesquise textos sobre o assunto. Enfim: informe-se! Evite qualquer problema que possa te causar dor de cabeça.

2- Programe tudo com pelo menos uma semana de antecedência. Converse com as Secretarias de Turismo locais, entre em contato com companhias aéreas a fim de acertar passagens e taxas de embarque, comunique-se com os hotéis a fim de se informar sobre horários e serviços, separe o que você vai levar. E principalmente: mostre interesse no resultado positivo do processo.

Mesmo que não seja você o responsável por essas atividades, esteja sempre informado com seus superiores. Cobre, se for necessário. Esse ano, perdi ao menos três viagens a trabalho porque a encarregada de solucionar essa parte deixou tudo para última hora. Perdemos permutas porque as secretarias não conseguiram reservar a tempo (elas geralmente pedem um prazo de ao menos 48 horas para conseguir) e passagens, porque é óbvio: há uma demanda alta para voos. Portanto, solucione o quanto antes.

3- Esteja com a saúde em dia. É claro que é complicado cancelar viagens por causa de uma gripe, por exemplo. Mas esteja sempre com exames e vacinas em ordem. Leve sempre remédios e protetor solar. Beba bastante água e se alimente bem. E principalmente: cuide de seu estado mental. Mentalize coisas boas, que tudo vai dar certo. Evite pensamentos repetitivos e negativos, para não atrapalhar seu rendimento nos negócios. E não: o avião não vai cair!

Crédito: Christin Hume/Unsplash
Crédito: Christin Hume/Unsplash

4- Tenha postura. Ao conversar com clientes, Secretarias de Turismo e outros profissionais da área, entenda bem com quem você está lidando para evitar comentários e piadas impertinentes. Se apresente, converse, troque experiências e veja se o perfil da pessoa lhe dá esse tipo de abertura – mas claro, tenha bom senso e evite exageros. Você está lidando com profissionais, e não com seus amigos.

Já vi gente tentando parecer engraçadinha para agradar e tentar conseguir um contato maior com as pessoas, mas o tiro pode sair pela culatra. Há pessoas que não gostam de brincadeiras, como também há pessoas muita tímidas que sentem-se extremamente desconfortáveis com certos tipos de comentários. Por via das dúvidas: trate todo mundo sempre com o máximo de respeito, seja solícito e simpático. Sem forçar a barra.

5- Contatos profissionais são uma via de mão dupla. Não é apenas um dos lados que ‘presta favores’. Cuide do seu networking porque você pode e vai precisar dele sempre. Uma vez, quando uma das reservas do hotel não deu certo, liguei na Secretaria de Turismo solicitando uma ajuda às vésperas de chegar na cidade. Ouvi de um superior que eu não deveria ‘pedir desculpas pelo contratempo’ e parecer mais firme e exigente, porque eu estava prestando favores pra eles e eles têm mais que a obrigação de ajudar.

Ora essa: educação não mata ninguém. E como jornalista que trabalhou com turismo, digo o seguinte: sem a ajuda, não há viagem; sem a viagem, não há matéria; sem a matéria, não há conteúdo pro veículo de comunicação. Ou seja: via de mão dupla. Respeito é o mínimo.

6322b607b164256a89412dc21486a60a
Crédito: Autor Desconhecido

6- Vista-se adequadamente. Se estará em uma reunião de negócios, esteja formal como a situação exige. Mas se você tem um trabalho como o meu, que exigia que caminhasse muito e o tempo inteiro, esteja sempre com roupas confortáveis. Tênis, calça e uma camiseta (que pode ser trocada por uma camisa mais informal) são sempre uma boa pedida. Pras meninas jornalistas que vão caminhar muito debaixo de sol ou de chuva: evite saltos e sapatilhas, porque machucam muito o pé e interferem na produtividade.

7- Tenha sempre em mãos uma mala de rodinhas. Se vai ficar um mês, é claro que a situação pede uma mala grande. Agora se vai passar uma semana, leve uma mala menor e somente o essencial. Não caia no papo de que é bom levar só mochilas e bagagens de mão pra evitar despachos dos profissionais da companhia aérea e esperar a bagagem na esteira. Ou pelo medo de que a mesma se perca ou seja extraviada (não vou mentir, esse risco sempre existe).

Mas entenda de uma vez por todas: existe um limite de bagagens de mão impostos pela empresa aérea, pra evitar superlotação de bagagens nas cabines. O resultado é sempre o mesmo: várias pessoas empurrando as mochilas pra caberem nos espaços, ocupando o lugar que é de outras pessoas por direito e causando desconforto até mesmo pros comissários de bordo, que ainda precisam aguentar desaforos de viajantes que estão errados e ainda pedem por direitos.

O país precisa de pessoas bem educadas. É absurdo que tenhamos situações do tipo como parte de nossa rotina. Além do que: vai ser muito pior pra você ficar carregando peso em excesso nos aeroportos, nos hotéis, nas ruas da cidade… Eu já fiz isso e digo que não é nada agradável.

8- Atenha-se às normas tradicionais de etiqueta. Isso nunca vai falhar e muito menos te deixar numa situação constrangedora. É muito desagradável ver superiores e colegas de trabalho com os quais você não tem afinidade roncando no avião do seu lado, por exemplo. Ao mesmo tempo, postura na hora de comer é essencial. Evite se arriscar muito na hora de comer pra não carregar imprevistos – porque sim, eles acontecem! E se for dividir o quarto, cuide das suas coisas e não invada o espaço dos outros. Lembre-se: você está viajando por compromissos profissionais. Mesmo que algumas empresas sejam mais liberais, não dá pra confundir as coisas.

9- Não utilize permutas para uso pessoal. Muitos profissionais aproveitam contatos para exigirem hospedagens e refeições para si e para a família. Conclusão: se você tem ações desse tipo, não reclame da corrupção do povo que governa por você. Se lembra da frase de que cada povo tem o governo que merece? Pois então, muitos comportamentos justificam isso. Já vi empresas cancelarem permutas por causa do mau uso por parte de certos tipos de profissionais. Seja honesto.

10- Não deixe a solidão te engolir. É fato que nas viagens você conhece gente nova, aumenta seu conhecimento, tem um certo contato com outras culturas e lugares. Mas não se atenha a certos mitos, pois não tem nada a ver com viagens a lazer, como eu disse anteriormente. É uma experiência ótima, é claro. Mas é natural, por exemplo, que você se frustre por não conhecer lugares que gostaria dentro do destino. É natural que você não consiga ir pra um happy hour no local.

Photo by Harsh Jadav on Unsplash
Crédito: Harsh Jadav/Unsplash

Algumas empresas fazem viagens em grupos grandes, o que tende a facilitar as coisas. Mas muitas vezes você pode viajar sozinho ou com no máximo uma ou duas pessoas do seu lado. Então aquela expectativa toda pode ir pro ralo. E claro: é um solo desconhecido, um quarto de hotel que não tem o aconchego do lar. Então, é natural que bata uma solidão e até angústia. Mas como eu disse, é sempre importante manter a saúde da mente.

Leve um laptop para trabalhar e aproveite para conversar à noite com seus familiares e amigos. Conte sobre seu dia para alguém que você ame. Leve revistas ou livros e atenha-se à leitura. Palavras cruzadas também valem muito. Filmes, novelas e seriados também são uma ótima pedida. Ou seja: mantenha a cabeça sempre ocupada.

E principalmente: esteja sempre aberto para o que é diferente de você. Ninguém é igual a ninguém. Nenhum lugar é igual. Não desmereça outras culturas. E sorria: você tem uma oportunidade maravilhosa nas mãos!

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s