Exposições Memoráveis: Stanley Kubrick, no MIS-SP

Esqueça todos os conceitos que você conhece sobre exposição e não espere nada que não esteja à altura da genialidade de um dos melhores e mais importantes diretores de cinema de todos os tempos. Em cartaz em São Paulo desde o dia 11 de outubro no MIS-SP (Museu da Imagem e do Som de São Paulo), a mostra Stanley Kubrick, idealizada pela esposa do diretor, a pintora Christiane Kubrick, em parceira com a Warner Bros, a Deutsches Filmmuseum Frankfurt e a The Stanley Kubrick Archive da University of The Arts London, é uma verdadeira aula de cinema.

Mais do que contar a história do artista através de suas obras, a exposição reúne materiais importantes que mostram a identidade de um homem que não aceitava nada além da perfeição – e que trabalhava à exaustão para conseguir os melhores resultados. Para quem sonha em trabalhar na área, a história de Kubrick serve de inspiração e ensina como um artista pode e deve se reinventar a cada trabalho.

Espaço do filme '2001: Uma Odisseia no Espaço'
Espaço do filme ‘2001: Uma Odisseia no Espaço’ | Crédito: Camila Honorato

Todos os espaços dedicados a seus filmes incluem cenários temáticos, câmeras, claquetes, maquetes, roteiros, trilhas sonoras, storyboards e figurinos originais. Também estão lá fotografias, cartazes e cartas endereçadas ao diretor que vão de correspondências com autores a um recado nada amistoso de um cônsul que desejava censurar Lolita de todas as formas.

A censura, aliás, é um tema que muitas vezes aparece em seus filmes mais provocativos: além de Lolita, a ironia de Dr. Fantástico foi proibida em alguns países. Laranja Mecânica, por sua vez, foi censurada pelo próprio diretor no Reino Unido, depois que o mesmo foi acusado de incitar a violência e inspirar gangues a cometerem crimes – um fato que enlouqueceu os críticos mais radicais da época e impactaram sua vida pessoal.

Figurino de 'Barry Lyndon'
Figurino de ‘Barry Lyndon’ | Crédito: Camila Honorato

Cada cantinho da mostra transporta o espectador para os bastidores das obras, fazendo-os sentirem-se como parte integrante das filmagens. Em Glória Feita de Sangue, almofadas recriam os campos de batalha. Em Barry Lyndon, as luzes baixas, os castiçais e os figurinos de época trazem o clima do século passado. Em Lolita, as cores delicadas, o sofá cor-de-rosa e os óculos de corações gigantescos relembram a inocência e a sensualidade de uma jovem adolescente.  Já em Spartacus, o destaque é a grade que cercava os guerreiros e o belíssimo figurino. Outros filmes ganham menções discretas, como é o caso de Napoleão e O Grande Golpe. No entanto, são os títulos principais que fazem cada centavo valerem a pena – e que te fazem pensar que o perfeccionismo de Kubrick certamente estaria orgulhoso de todos os envolvidos. São eles:

Nascido Para Matar – Um Datashow exibe algumas das principais cenas do filme. Duas réplicas dos beliches do exército incluem uma tela pequena acoplada com um fone de ouvido, onde o visitante pode deitar enquanto assiste trechos importantes da obra, como a mítica cena na qual um soldado executa seu comandante no banheiro para logo em seguida se matar. Fotografias dos bastidores complementam o espaço.

2001: Uma Odisseia no Espaço – O cenário imita o interior da cabine da nave em um espaço grande e inteiramente iluminado por luzes brancas, num clima bem futurista. Estão lá o figurino do macaco, o astronauta, o bebê robô, uma réplica do satélite no teto e a estatueta do Oscar. Só senti falta da música original tocando bem alto.

Ambiente de '2001'
Ambiente de ‘2001’ | Crédito: Camila Honorato

De Olhos Bem Fechados – Uma porta conduz a um corredor fechado, composto por espelhos e pelas lindas e elegantes máscaras utilizadas no filme, num ambiente bem misterioso e um pouco intimidador – pra deixar sua imaginação e sua malícia voarem alto. Outra porta leva o visitante a um espaço cheio dos objetos utilizados nas filmagens, como a capa escura usada pelo ator Tom Cruise. Além disso, é possível colocar o rosto nas máscaras e observar o corredor outra vez sob outra óptica (e assustar involuntariamente outros visitantes que passam distraídos por lá e se deparam com um par de olhinhos desconhecidos).

Laranja Mecânica – Não conheço NINGUÉM que não tenha pelo menos amado esse filme. O espaço tem luzes psicodélicas, fotos, desenhos e gravuras no maior estilo pop art, o lendário figurino original (que você já usou ou quis usar numa festa à fantasia), as famosas bonecas nuas e o Disco de Ouro conquistado pela venda de mais de um milhão de cópias da fabulosa trilha sonora. Logo na entrada, o visitante se depara com um conjunto de televisões pequenas e antigas que passam algumas cenas do filme, tais como a da tortura sofrida por um Alex de olhos arregalados.

A boneca de 'Laranja Mecânica'
A boneca de ‘Laranja Mecânica’ | Crédito: Camila Honorato

O Iluminado – Pra mim, esse é o melhor espaço de todos. Na entrada, um alerta para os visitantes mais sensíveis: os corredores mal iluminados e sinistros do hotel do filme intimidam com a trilha sonora obscura, brincando com o psicológico do espectador. Como não sou corajosa nem nada, fiquei com medo e demorei pra conseguir entrar. Depois de passar perto de várias portas fechadas (e de temer o aparecimento das gêmeas pequenas), o final do corredor exibe a cena do sangue jorrando pelos elevadores. Também é possível abrir algumas das portas (não, eu não quis saber o que tinha dentro) e ver alguns objetos usados nas filmagens, como a máquina de escrever do maluco Jack.

Retrospectiva e visita ilustre

Além da exposição, o auditório do MIS exibe alguns filmes do diretor (R$ 10; consulte a programação no site). Depois de conferir a mostra, numa quarta-feira, assisti ao documentário sobre a vida do mestre: Stanley Kubrick – A Life in Pictures, com detalhes sobre sua carreira, vida pessoal e depoimentos de artistas. O diretor Jan Harlan, que trabalhou como produtor executivo em filmes como O Iluminado, Barry Lyndon e De Olhos Bem Fechados, esteve presente para conversar com os espectadores, respondendo a várias perguntas sobre a carreira do cineasta. Paciente, simpático e alegre. Um fofo!

INFORMAÇÕES: 

Onde: MIS – Museu da Imagem e do Som (Av. Europa, 158 – Jardim Europa, São Paulo).
Quando: de 11/10/2013 a 12/01/2014.
Horários: Terças a sextas, das 12 às 21h; sábados, domingos e feriados, das 11 às 20h.
Entrada: R$ 10 inteira | R$ 5 meia.
Venda Online: R$ 20 pela Ingresso Rápido.
OBS: Às terças-feiras, o ingresso é gratuito.
Mais informações: http://www.mis-sp.org.br
Avaliação Final: ♥♥♥♥♥ (Excelente)

GALERIA DE FOTOS | CRÉDITO: Camila Honorato:

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s